Se o tripé é neoliberal, Lula é o campeão de neoliberalismo no Brasil

Em tempos de polarização entre tucanos e petistas, observamos a emergência de narrativas que apresentam a política macroeconômica como tema fortemente antagônico entre os dois partidos. Mais que isso, tende-se a apresentar Dilma apenas como uma continuidade do governo Lula. Procuramos nesse texto, com uso de estatísticas e evidências históricas, mostrar que a realidade é mais complexa que o Fla vs. Flu eleitoral. O tripé macroeconômico é formado por três políticas. O superávit primário é a economia que o governo faz (apuradas suas receitas e despesas), excluídas as receitas e despesas relacionadas a dívida pública. A política de metas de inflação é a inflação que o governo persegue, que possui um centro e um limite de tolerância (acima e abaixo daquele valor). Completando a trinca, temos o câmbio flutuante, o qual determina que a taxa de câmbio será formada no mercado, enquanto o governo se limitará à atuará no máximo para evitar oscilações bruscas. De fato, as três metas foram instituídas no segundo governo FHC, em 1999. Até então o governo não tinha metas de superávit, havia uma intenção de manter o real valendo aproximadamente um dólar e não existia uma meta pública de inflação. Entretanto, a análise dos dados … Continue lendo Se o tripé é neoliberal, Lula é o campeão de neoliberalismo no Brasil